Relacionamentos abusivos acontecem de forma mais presente do que você imagina. Isso pode estar acontecendo com você nesse exato momento ou com alguém que você ama muito. Porém nem sempre a vítima consegue identificar os abusos ocorridos.

Neste texto vamos refletir sobre:

  • Como um relacionamento abusivo pode estar sendo mascarado como "relacionamento perfeito".
  • Não deixe que os seus sentimentos te deixe cega.
  • O passo a passo de um relacionamento abusivo.

Imagine agora a seguinte situação:

O homem mais lindo do mundo se aproxima de você. Dá um sorriso encantador e se oferece para te pagar uma bebida. Vocês conversam como se nada mais existisse no mundo. É impressionante como vocês combinam nos mínimos detalhes e como parecem ter assunto suficiente para conversar por anos.

Ele paga o jantar, abre a porta do carro, se veste bem… parece que saiu de um filme de romance vivido em Nova York. Tem estabilidade financeira, é inteligente e engraçado. Tudo o que você sempre sonhou em um homem para iniciar um relacionamento. Para completar, ele faz planos com você, quer construir uma família, quer construir um mundo novo. E com você!

Se essa história acabasse nesse exato momento, apenas boas lembranças poderiam existir. O casal perfeito que todos admiram e invejam.

Porém, esse é só o início de histórias realmente assustadoras e cruéis. Onde a violência doméstica paira nas sombras, enquanto milhares de mulheres sofrem em silêncio junto ao seu príncipe encantado.

Ele é mesmo tudo isso?

Para a parceira, ele é sim. A criatura mais perfeita que já existiu e se ele é a criatura perfeita, ela acaba por se perceber de forma inferior, internalizando todas as culpas e necessidade de mudança para fazer jus à perfeição que ele é.

Para os demais, ele pode nem ser tão bonito, atraente, simpático. Porém, para ela, ele é o sonho que se tornou realidade.

Esse é o primeiro passo em um relacionamento abusivo. O encantamento causado por ele, fazendo a companheira acreditar que não consegue viver se não for ao seu lado, acaba por deixá-la vulnerável às suas vontades

O que acontece em seguida?

Uma vez que ela admite para si mesma que não consegue viver sem ele, fica fácil de controlá-la. O que acontece em seguida é o isolamento total, onde ele sutilmente pede para que ela se afaste de sua família, dos amigos e do trabalho. Tudo isso acontece de uma forma delicada e, aparentemente, inocente. Pode ser uma frase como: “você não precisa pensar tanto na sua antiga família, temos que pensar e viver para a família que estamos construindo juntos” ou algo como: “suas amigas tem inveja de você porque somos um casal perfeito”, “não precisa trabalhar tanto, eu posso cuidar de você e te sustentar para você poder ter mais tempo para a nossa família”.

Viu, como as frases são sutis? São tão delicadas que muitas mulheres nem percebem que estão sendo vítimas de violência doméstica. Acabam por concordar que, se ele sugeriu aquilo, certamente ele está correto, pois, é um ser perfeito, lembra? E esse ser a ama e quer cuidar, cada vez mais, dela.

Agora começam os xingamentos

Iniciam ainda de forma sutil, porém com um tom de envenenamento na voz. “Você está ficando gordinha”, “eu vou cozinhar hoje, porque você não sabe cozinhar direito”, “eu não peço a sua opinião, porque você não entende nada”.

Ela vai concordando com ele, até o ponto onde as grandes discussões se iniciam. Por mais que ela tente se defender, ele tem tudo sob seu controle, inclusive ela, e consegue fazer com que a companheira se sinta culpada por suas atitudes, tendo em vista que tudo o que ele faz é para o seu bem.

Nessa fase, às vezes ela percebe que ele não é tão perfeito e que não possuem um relacionamento exemplar. Compreende lúcidamente que está em um relacionamento onde não possui vontade própria, mas logo sua mente volta a se tornar turva e confusa. Uma vez que se encontra isolada de seu ciclo social e familiar, ela não encontra pilares para se fortalecer e sair daquela situação.

Violência física

Muitas vezes se manifesta de forma sutil e tão disfarçada que a mulher nem percebe que foi agredida fisicamente. Um empurrão, um aperto no braço, um puxão de cabelo e ainda a voz dele dizendo “você acha que eu estou te batendo? Se eu fosse te bater, você ia desmontar, porque eu sou muito forte. Isso não é te bater”. E ela acredita nisso.

Nesse ponto, por mais que ela sinta que algo está errado, é apenas quando as agressões ficam intensas que ela percebe que se encontra em maus lençóis. Mas como sair deles? Ele passa a agredir com tal ferocidade, indo desde cuspes, chutes, a socos, esganamentos e cortes.

Oito sinais de que você está em um relacionamento abusivo

Como lidar com a separação conjugal sem traumatizar os filhos

A modelo Jéssica Aronis denunciou relacionamento abusivo

No canal do youtube TEDxTalks, a modelo brasileira, Jéssica Aronis, conta como foi a sua história e como conseguiu sair da situação de abuso quando a mãe a incentivou a fazer acompanhamento psicológico.

Segundo ela, não conseguia perceber que estava vivendo em um relacionamento abusivo, apesar de ter passado por todas essas fases citadas acima, devido ao forte controle exercido por seu abusador. Em terapia, pôde avaliar sua situação e conseguir a ajuda necessária para superar aquilo que estava vivendo.

Ao procurar uma psiquiatra indicada por sua psicóloga, Jéssica soube qual seria o próximo passo se continuasse com aquele relacionamento. A morte. Tanto a psicóloga, como a psiquiatra, seus advogados e sua família sabiam qual seria o final dessa história e perceberam que deveriam agir rapidamente para auxiliá-la.

Nesse momento, muitas vezes, a pessoa que é abusada não obtém o controle de suas ações, ainda se encontra encantada pelo “príncipe” e pode não perceber a gravidade da situação em que se encontra. Então se você se identifica com o que foi escrito aqui ou conhece alguém que está passando por alguma situação parecida, lembre-se de que sempre há uma chance de recomeçar e superar, porém não deixe para quando for tarde demais.

Não existe nenhum ser que seja a perfeição em pessoa, comece a desconfiar a partir do momento em que começar a acreditar nisso. Saiba que seus amigos e sua família devem conviver com seu relacionamento em harmonia, e que você deve prezar pela sua autonomia e independência. Um amor verdadeiro deixa o outro livre e dá autonomia para que cada um siga seu próprio caminho, porém um ao lado do outro.


Em casos onde há um relacionamento abusivo, o acompanhamento terapêutico é essencial no auxilio à vítima, para que esta possa conseguir superar os momentos de aflição e tristesa e recomeçar a vida de uma maneira saudável!
Para encontrar o profissional de psicologia mais adequado para te ajudar, acesse: www.expire.com.br.