Está precisando tomar uma decisão muito importante na sua vida? Precisa realizar uma jornada ao seu eu interior para encontrar as respostas que você procura? Viajar sozinho, pode ser um bom caminho!

Neste texto vamos refletir sobre:

  • Como viajar sozinho pode contribuir para o autoconhecimento.
  • Planejando uma viagem sozinho.
  • Continuando o acompanhamento psicológico durante a viagem.

Viajar! É difícil encontrar alguém que não goste de fazer isto! Um momento para nos desprender da rotina de trabalho, relaxar com a família, conhecer novos lugares! E nem precisa ser para um lugar muito caro, os três momentos citados acima, já são suficientes para nos motivar a cair na estrada, mesmo que para uma cidadezinha bem ao lado da nossa. No final, as boas lembranças e experiências ficam guardadas em nossa memória e, sentindo-nos com as “baterias” recarregadas, estamos prontos para voltar à rotina!

É assim que muita gente se sente quando falamos em viajar. Afinal, sempre é bom quando estamos ao lado daqueles de quem gostamos e, principalmente, aproveitando um momento cheio de novidades em um novo lugar! Porém, você já pensou que viajar sozinho também não é uma má idéia?

Tem gente que não consegue fazer nada sozinho, ir a um cinema, um bar, almoçar ou simplesmente fazer um passeio pelo parque. Mas ficar sozinho também tem as suas vantagens. Quando conseguimos ficar sozinhos, podemos nos observar melhor e conhecer aspectos de nosso eu mais profundo. É importante que possamos gostar da nossa própria companhia, e saber conviver com ela é uma dádiva!

Você já passou por um momento onde estava tão cheio de si mesmo que precisou ser preenchido com a presença de outras pessoas para  sair da monotonia ou da rotina? Isso acontece, principalmente, quando não conseguimos suportar a nós mesmos e acabamos por nos desconectar de nós, sem ao menos nos dar a chance de conhecer mais sobre quem somos.

Lembre-se de que você é a sua única companhia em tempo integral, por mais que estejamos cercados de pessoas, estas seguem seus rumos e você permanece consigo mesmo. O ideal é podermos equilibrar as coisas, sabendo que conseguimos ter interações sociais proveitosas e, ao mesmo tempo, a tranquilidade de estarmos sozinhos com os nossos próprios pensamentos.

E como viajar sozinho pode ajudar?

Existem alguns pontos que precisamos compreender sobre viajar sozinho. Primeiramente, não precisa ser uma viagem muito longa, tampouco para um lugar distante. Um final de semana já é o suficiente. Para os mais ousados ou que dispõe de tempo livre, um mês pode ser uma boa para visitar lugares mais longínquos, talvez até um outro país.  

Já estive com pessoas que me revelaram ter feito grandes descobertas e ter tomado importantes decisões durante uma viagem solitária, pois puderam ouvir seu eu interior e refletir sobre as melhores escolhas a serem feitas em suas vidas. Algumas inclusive, chegaram a reinventar a própria rotina, após a oportunidade de avaliar-se.

Quando estamos cercados de pessoas, fica mais difícil parar para nos escutar e para refletir sobre nós mesmos. Também temos os papéis sociais que exigem muito de nós, como o papel de mãe, estudante, namorado, esposa, advogado.  Coisas que desviam a nossa atenção de questões simples que poderiam ser facilmente observadas se olhássemos para dentro.

Em uma viagem solitária, podemos ter a grande oportunidade para enxergar com maior clareza como está a nossa vida e onde queremos chegar com ela.

Mas por onde começar?

Primeiro é necessário que haja uma programação prévia. Sua viagem será em um final de semana ou em um mês? Em um lugar próximo da sua cidade ou em outro país? Quanto de dinheiro você vai precisar? Se for uma pessoa casada, terá que entrar em um consenso com o cônjuge sobre sua decisão, se tiver filhos, deverá confiar-lhes em segurança para alguém em quem confie, deverá pedir férias do trabalho…

Como manter o equilibrio morando no exterior.

Como se cuidar emocionalmente sendo nômade.

Preparei algumas dicas que devem ser bem observadas!

Destino

Lembre-se de escolher um destino que lhe pareça agradável. Afinal, não é nem um pouco confortável estar completamente sozinho em um lugar aparentemente perigoso ou devastado. Pesquise sobre a segurança naquele local, quais são os costumes daquela região, se vai estar fazendo frio ou calor. O lugar para onde você vai contribui em 50% para que sua viagem seja tranquila ou cheia de perrengues. E enfrentar perrengues sozinho não é uma boa ideia. Estude também, os mapas daquela

Dinheiro

Existem viagens para todos os gostos e bolsos. Procure uma que se encaixe no seu. Como estará sozinho, lembre-se de não ir com dinheiro contado e ter sempre uma reserva para evitar qualquer problema. Fique atento à golpes que os turistas costumam sofrer naquela região e esteja preparado para não cair em um deles. Hoje na Internet você encontra informações sobre praticamente qualquer dúvida, então, vale dar uma boa pesquisada antes.

Hospedagem

Não é porque você está viajando sozinho que ficará sozinho o tempo inteiro. Mesmo sem conhecer ninguém naquele local, não é difícil encontrar alguém para bater um papo vez ou outra. Para quem gosta de socializar, uma dica é ficar em ambientes onde você pode conviver com outras pessoas, como os Hostels, por exemplo. Mas isso varia do estilo de viagem de cada um. É importante você decidir qual vai ser o estilo da sua viagem e procurar uma hospedagem que se encaixe nele.

Interação

Como falado no item anterior, você certamente vai acabar conversando com algumas pessoas durante a sua viagem, mesmo estando sozinho. Lembro-me de duas vezes em que estive sozinha, uma em Brasília, onde conheci umas pessoas bem bacanas em uma fila e acabamos conversando por horas e outra em Istambul, na Turquia, onde certa vez, eu estava sentada em uma praça admirando o Estreito de Bósforo e conheci dois rapazes que se sentaram para me fazer companhia e até me deram uma cerveja turca de presente. Nunca mais encontrei nenhuma destas pessoas, mas as boas lembranças permaneceram. Então, não fique apavorado acreditando que sua viagem será inteiramente solitária, pois ela não será. A menos que você não saia do seu quarto de hotel ou que você não consiga se comunicar no idioma do país para o qual está indo - e ainda assim, você poderá utilizar o inglês ou mímicas!

Cuidados nunca são demais

Avise para pessoas de confiança para onde está indo. Mantenha contato com estas. É importante que alguém saiba onde você está, caso precise de ajuda. Leve remédios básicos, como paracetamol, remédio para cólicas ou dores de cabeça. Se você toma algum remédio controlado, também não se esqueça deste e de sua receita. Tente não levar muitas malas, lembre-se de que você não terá quem te ajude a carregá-las e, se for possível, chegue no seu destino durante o dia, assim os estabelecimentos estarão abertos e tudo estará mais movimentado, facilitando a sua locomoção até a hospedagem.

Responsabilidade

Não é porque você está viajando sem os seus filhos que o seu senso de responsabilidade deve ficar em casa. Leve-o com você. Fique atento à todos os seus pertences e documentos que carrega, cartão, passaporte, dinheiro, aparelho celular. Nenhum lugar do mundo é perfeito e todo o cuidado é pouco com as nossas coisas, não é verdade? Deixe para beber um pouco a mais, apenas quando estiver no bar de seu hotel ou em seu quarto. Passar da conta naquela garrafa de vinho em um lugar desconhecido pode te deixar em maus lençóis, tendo em vista que ninguém te levará até a sua hospedagem (nem mesmo as pessoas que você acabou de conhecer, elas não tem responsabilidade sobre as suas atitudes). Então, evite os perrengues que podem ser evitados.

Dificuldades

Elas existem, principalmente em situações que são vivenciadas pela primeira vez. O marinheiro de primeira viagem (literalmente), ainda está descobrindo as melhores formas de viajar sozinho e de aproveitar as suas experiências. Fique atento para não perder vôos, documentos, prazos de reserva em hotéis… porém, saiba que há chances de você se atrapalhar em alguma coisa. Só não deixe que isso te impeça de vivenciar momentos incríveis consigo mesmo, pois, no final, tudo isso lhe renderá muito aprendizado e novas experiências, podendo trazer para a sua vida um recomeço. Você passará a enxergar as coisas à partir de um ponto de vista diferente, com mais autonomia e autoconhecimento.

E dá para realizar acompanhamento psicológico no meu mês de férias?

Sim! Através do atendimento online não existem mais barreiras entre o psicólogo e o paciente. É possível que, no horário de sempre, as sessões continuem perfeitamente. O interessante disso, é que em uma viagem para autoreflexão e conhecimento, a ajuda de um profissional adequado pode ser de grande suporte emocional e avaliativo para o paciente. Em sua terapia, ao mesmo tempo em que vive suas experiências sozinho, o paciente poderá observar melhor seus questionamentos e suas escolhas, tendo o auxílio de um profissional adequado para contribuir com seu momento de autoconhecimento. Nada mais apropriado, não acha?

Com a terapia online, você poderá conversar com um psicólogo através do seu computador ou smartphone e realizar suas sessões do conforto, segurança e privacidade da sua casa, ou de onde você estiver, precisando apenas de uma conexão com internet!

No site Expire Psicologia, você poderá encontrar o terapeuta mais adequado para te ajudar. Basta entrar no site, www.expire.com.br e escrever sobre o que está acontecendo na sua vida e como você está se sentindo. Sua mensagem será encaminhada à um de nossos terapeutas, com quem você poderá agendar suas sessões de atendimento online.