Você já passou pela experiência de retornar ao Brasil após passar uma temporada no Exterior? É preciso ter cuidado para não se deixar deprimir. A síndrome do regresso existe e ela deve ser observada com atenção!

Neste texto, vamos conversar sobre:

  • Tristeza ao retornar para o Brasil é normal?
  • Síndrome do regresso
  • O que fazer diante do sentimento de saudade?

       Se você retornou para o Brasil recentemente, há grandes chances de que se identifique com algumas destas cenas: caminhar pelas ruas brasileiras com receio de ser assaltado, não caminhar pelas ruas brasileiras e andar de Uber para não ser assaltado, sentir uma tristeza profunda ao passar diante de casas muito pobres, sentir que há uma injustiça social muito forte, desejar que estivesse frio enquanto o sol brilha a mais de 30 graus, se incomodar com o idioma Português, mesmo sendo o seu idioma de origem, não se sentir pertencente ao lugar onde está.
       Estas são algumas das primeiras queixas de pessoas que retornam ao país após uma experiência vivida no exterior. Atreladas à estas queixas, se unem a situação política brasileira e questões culturais, como a falta de educação em certas pessoas e a fraca economia do país. Isto pode se caracterizar como síndrome do regresso.
       Pensar que você estava em um lugar muito melhor do que o Brasil pode fazer com que você passe a energar a sua vida atual através de um filtro cinzento e é preciso ficar alerta para não acabar vivenciando um transtorno de ansiedade e depressão.

Síndrome do regresso

       Acontece mais do que a gente imagina! Você retorna ao Brasil após uma temporada no exterior e pronto, sente que não se encaixa mais em seu país. Passou um bom tempo vivenciando novas culturas, novos valores e se adaptou à um estilo de vida diferente do vivenciado no Brasil. Agora parece que todos à sua volta continuam as mesmas pessoas, porém, você sente que mudou bastante e que está muito à frente do tempo naquele lugar, pois acumulou muitas experiências e aprendizados.
       Aqui no Brasil nos vestimos de forma diferente, pois cada país possui um estilo único. Também comemos coisas diferentes, falamos com um tom de voz mais alto, gesticulamos, abraçamos as pessoas que nem conhecemos. Não temos o costume de ser pontuais e, por aqui, até é considerado elegante chegar uns 30 minutos atrasados em uma festa. Lá fora as coisas mudam e, de acordo com o país onde você vivenciou as suas experiências, os costumes podem ser completamente diferentes do nosso.
       Aí vem um sentimento de tristeza e solidão. Você sente que as pessoas não o compreendem - e não compreendem mesmo! Pois suas experiências e aprendizados são únicamente seus! Mais da metade dos brasileiros que retornam ao país vivenciam estes sentimentos, pensamentos e sensações. Porém, tudo começa a passar dos limites quando a síndrome do regresso demora mais de seis meses para ir embora.
       Segundo os especialistas, a síndrome do regresso pode levar até dois anos para desaparecer, porém após os seis primeiros meses de adaptação, o caso já é considerado agudo e é preciso ficar alerta, pois a referida síndrome pode evoluir para um quadro depressivo muito forte, chegando a somatizar os sentimentos negativos no corpo.

O que fazer diante da tristeza de regressar?

       Mesmo que seu primeiro impulso seja ficar trancado em seu quarto assistindo à vídeos no Youtube sobre o país onde você estava e olhar as fotos de sua viagem vezes sem conta, é preciso que você policie suas atitudes. Se distanciar das pessoas em seu país pode ser um fator determinante para prolongar a sua tristeza, mesmo que você acredite que não possui mais nada em comum com elas. Isto pode agravar o quadro da síndrome do regresso.
       Praticamente todo brasileiro possui curiosidade sobre outros países. Nosso país é muito grande e cruzá-lo é o mesmo que viajar para fora, por isso muitas pessoas nunca sequer pisaram em terras estrangeiras. Aproveite para conversar sobre as suas aventuras, o que aprendeu. Busque compartilhar sua história! Certamente você encontrará alguém que deseja lhe ouvir!

       Também é interessante conversar com pessoas que estão passando pelo mesmo processo de adaptação no Brasil. Há diversos grupos na internet, blogs, sites de viagem, que falam sobre o assunto e onde você pode trocar uma ideia sobre a fase de mudança que está vivenciando.
       Faça novos amigos! Se você sente que já não compartilha mais o pensamento de seus antigos amigos, experimente fazer novas amizades. Realize atividades que o impulsionem à conhecer novas pessoas, se engaje em um projeto novo, faça algo diferente.

A síndrome do regresso significa que eu não amo o meu país?

       Não, de forma alguma! A síndrome do regresso caracteriza-se apenas pelo sentimento de despertencimento à um lugar. Você provavelmente reconhece como o Brasil é rico, com um povo contagiante, uma fauna e flora amplas e uma cultura muito peculiar, derivada da mistura de muitos povos. O que acontece, na verdade, é que pode ser que você não se enxergue mais como brasileiro e, sim, como um cidadão do mundo! E não há nada de errado nisso! Não significa que você deixou de amar o seu país, apenas que abriu espaço em seu coração para outros lugares poderem entrar também!

O mundo é pequeno

       Uma vez que você sai do Brasil, não é incomum que passe a enxergar o mundo através de uma perspectiva mais simples. Você descobre que não há grandes segredos quando se trata de viajar para o exterior... as passagens de avião estão disponíveis, cada vez em preços mais baixos, e, no final das contas, o que importa é que você decida viajar e se movimente para realizar seu objetivo.
       Então, se você realmente amou o país onde estava, considere retornar para rever os lugares por onde passou e os amigos que fez no meio do caminho. Você não precisa ficar no Brasil para sempre, porém precisa de planejamento e atitude para sair novamente, mas não encare isto como uma barreira e sim, como um desafio.

Você está sentindo dificuldades para se socializar? No link abaixo você poderá realizar um teste para compreender como andam suas habilidades sociais! Também poderá saber seus níveis de ansiedade e depressão!

CLIQUE AQUI PARA FAZER ESTE E OUTROS TESTES!