Você já pensou em morar fora do Brasil? Ando observando que, ultimamente, muitas pessoas expressam o desejo de deixar o país, seja para sempre ou durante uma temporada. Porém, existem alguns medos e dúvidas que permeiam a mente de muitas destas pessoas. E alguns pontos devem ser observados com atenção para que essa experiência seja aproveitada ao máximo.

Neste texto vamos refletir sobre:

  • Psicologia online.
  • Como lidar com a instabilidade emocional vivendo fora do país.
  • Dicas para deixar o brasil com maturidade emocional para morar no exterior.

Toda mudança gera desconforto. Ouvi essa frase à muito tempo atrás e guardo comigo seu significado. Estamos acostumados a interagir com nossa própria cultura, nossos valores, nossos amigos, nossa família. Quando permanecemos durante muito tempo em um único lugar, vamos criando laços e ocorre um processo natural de adaptação. Para muitos, por mais que a ideia de morar fora do Brasil seja tentadora, deixar para trás todos os laços criados ao longo de anos, não é algo fácil.

Em contrapartida, a perspectiva de poder conhecer novas culturas, novas pessoas e ampliar os horizontes, está cada vez mais impulsionando os Brasileiros para o exterior. É nesse momento, que o sujeito precisa de preparação emocional para lidar com as boas e más surpresas de se viver em outro país.

Brasileiros pelo mundo

Segundo dados do Ministério das Relações Exteriores, através do site Itamaraty, em fevereiro de 2019, existem cerca de 2,5 milhões de brasileiros vivendo no exterior. Os lugares com a maior concentração de brasileiros são os Estados Unidos (23,8%), Portugal (13,4%), Espanha (9,4%), Japão (7,4%), Itália (7,0%) e Inglaterra (6,2%).

Instabilidade econômica, social e a violência estão entre os principais fatores que contribuem para que, cada vez mais, os brasileiros deixem o seu país de origem. O baixo poder de compra dos consumidores, a desvalorização profissional e o cenário político atual são outros grandes fatores que impulsionam os brasileiros.

Porém, mesmo os que se encontram fora do país garantem que o Brasil tem seus pontos fortes e fracos, mas quando estes são colocados em uma balança metafórica, a sede por qualidade de vida fala mais alto.

Psicologia online

Agora que o Conselho Federal de Psicologia abrandou as regras para a realização de terapias online,  pacientes que residem fora do território nacional, podem iniciar uma terapia, com um profissional que fala seu próprio idioma e conhece profundamente sua cultura.

Mas o que é essa terapia?

Psicologia online nada mais é do que a psicologia como a conhecemos, com sessões semanais (geralmente), possibilitando o psicólogo de auxiliar o paciente, através de suas técnicas, porém isso tudo acontece através de um smartphone ou de um computador.
Com o avanço dos meios de comunicação, percebemos que barreiras existentes, até então, passam a não fazer mais parte de nossa rotina. Inclusive, para quem reside fora do país, é muito mais reconfortante saber que, quando o sentimento de saudade dos que ficaram no Brasil despontar, com uma ligação via whatsapp, por exemplo, podemos preencher um espaço vazio. Claro que não é a mesma coisa de um abraço, mas se pensarmos como era difícil nos comunicar com outros países no passado...

O futuro das tecnologias: como lidar com as mudanças?

Nós nascemos para lutar?

A tecnologia e as novas formas de relacionamento.

Eu não resido no Brasil já faz um tempo, porém, não precisei parar de realizar atendimentos clínicos pelo fato de residir em outro país. Através da psicologia online, como psicóloga, também posso continuar a atuar, auxiliando brasileiros que se dispõe a realizar o atendimento através de uma tela.

Quando eu residia no Brasil, cheguei a ter alguns pacientes estrangeiros que se comunicavam comigo, embora eu não pudesse compreender aspectos de suas culturas, seus valores e de que a barreira linguística, se instalava como um muro entre nós. Se existisse psicologia online em seus países, certamente seria de grande ajuda para eles, pois a comunicação com um psicólogo que consegue compreender quem somos, é fundamental.

Mesmo os brasileiros que vivem no exterior, podem procurar realizar terapia com psicólogos locais, porém, certamente não será a mesma coisa de poder se expressar em sua língua nativa para um profissional que vem de uma mesma realidade. Claro, que para alguns, um profissional estrangeiro pode ser de grande ajuda, sim, porém, as barreiras culturais e linguísticas precisam ser rompidas para isso.

Morar fora: como lidar com as emoções?

Chegamos aqui à um ponto importante! Equilíbrio emocional. Como citado anteriormente, toda mudança gera um desconforto. Mesmo as mudanças mais promissoras, se mostram desconfortáveis, por quebrarem os padrões de estabilidade e conformismo. Não é fácil mudar, mesmo que seja para a melhor.

Nesse processo de mudança, temos lidar com inúmeros fatores, como uma nova fase de adaptação e auto reflexão. Quando nos mudamos para um outro país, fatores como saudade, solidão, necessidade de ser aceito por aquela nova cultura, tolerância ao diferente são colocados em pauta dentro da nossa cabeça. Ao mesmo tempo em que queremos nos encaixar naquela sociedade, sentimos falta de alguns detalhes da nossa vida antiga.

Isso ocorre nos primeiros momentos de adaptação e precisamos nos fortalecer emocionalmente para seguir em frente e não retornar ao nosso país de origem por motivos de medo e insegurança.

Como identificar e lidar com a ansiedade?

Dicas para você deixar o país com maturidade emocional

1- Antes de deixar o país pense em quais são os seus objetivos com essa mudança.

Porque você pretende ir para o exterior e qual é o seu foco. Estudar? Mudar de vida? Trabalhar? Faça um comparativo com a sua realidade no Brasil, para compreender se isso é o que você quer realmente. Muitos brasileiros, com boa situação financeira no país, largam tudo e vão para países de primeiro mundo trabalhar em subempregos e acabam se arrependendo imensamente. Lembre-se sempre de quais foram os motivos que te fizeram querer morar fora do Brasil e avalie quais são os pontos onde você está alcançando esses objetivos.

2- Ouça a si mesmo

Algo que já vi acontecer. A pessoa vai para o exterior porque os amigos resolveram ir e acaba voltando para o Brasil com um sentimento de frustração. Ela ouviu mais os outros do que a si mesma e, no fim das contas, esse não era o seu objetivo. Mudar para um outro país é um grande passo, pois lidamos com uma mudança extrema, é preciso muita reflexão e conhecimento sobre si próprio.

3- Tenha em mente que nem tudo são flores

Não é porque você pretende ir para um outro país, que acabará entrando em um mundo mágico onde todas as coisas são perfeitas. Existe o lado bom e ruim em todos os lugares, mesmo nos países listados como melhores nisso ou naquilo. Pessoas agem como pessoas em todos os cantos do mundo, você precisa estar atento e perceber que nem tudo será fácil em sua jornada.

4- Pesquise sobre o lugar

Tente conhecer ao máximo o destino para onde está indo. Isso irá te ajudar a não cometer gafes ou atos rudes (sem que você perceba). Pesquise sobre os costumes locais, a comida, as características daquele povo. Quanto mais você aprender sobre aquele local, estará mais preparado para enfrentar as dificuldades (pois elas virão, sim).

5- Tolerância e respeito

Se você não consegue tolerar quem é diferente de você, é melhor nem sair do Brasil. Quando estamos em um outro país, nós somos os estrangeiros e temos que respeitar as regras. O respeito pela cultura do lugar, sua história e seu povo é fundamental para evitarmos os dias ruins.

6- Fique atento

Como dito antes, há coisas boas e ruins em todos os lugares. Não abaixe a guarda, pois sempre alguém pode tentar te passar algum golpe ou te enganar de alguma forma. Por mais que você ache que, por ser brasileiro, sabe identificar essas roubadas, fique esperto.

Estar atento à possíveis obstáculos em sua jornada e ter em mente que as coisas não vão ser fáceis, pode te ajudar a tomar as decisões de forma coerente no que diz respeito à sua mudança.

Mudar de país ou viajar para o exterior pode ser uma experiência enriquecedora. Aprendemos até onde vão os nossos limites, a quebrar barreiras, pré-conceitos, respeitar as diferenças e, principalmente, aprendemos a conviver com nós mesmos. Nesses momentos, somos os nossos melhores amigos, o que pode contribuir para darmos um salto em nosso autoconhecimento.

Claro, mesmo com todas estas dicas, realizar um acompanhamento psicológico para nos auxiliar a conviver com tamanha mudança pode ser de grande ajuda nesse processo de adaptação e recomeço. E através da psicologia online, conseguimos quebrar mais uma barreira e continuar cuidando da nossa saúde.

Com a terapia online, você pode conversar com um psicólogo através do seu computador ou smartphone e realizar suas sessões do conforto, segurança e privacidade da sua casa, ou de onde você estiver, precisando apenas de uma conexão com internet!

Um bom psicólogo irá ajudar você a observar suas experiências de forma que você possa melhor aproveitar os aprendizados adquiridos. A terapia nesse momento pode auxiliar ainda, no processo de autoconhecimento e compreensão sobre seus objetivos e conquistas.

A Expire encontra, o psicólogo online mais adequado para te ajudar, segundo as suas preferências e disponibilidade de horários!

Acesse: www.expire.com.br e solicite seu atendimento!