Você já se olhou no espelho hoje? O que achou? Certamente observa que um detalhe ou outro poderia ser diferente, uma boca maior, olhos menores, um nariz mais harmonioso! Saiba quando a insatisfação corporal passa a ser prejudicial!

Neste texto vamos refletir sobre:

  • É normal estar descontente com o seu corpo
  • Quando isso passa dos limites
  • Prevenção é importante

       É normal ficarmos descontentes com um ou outro detalhe de nosso corpo. Seja por questões de saúde ou estética, a maioria das pessoas gostaria de mudar algo em seu corpo. Você, neste exato momento, pode estar se achando com uns quilos à mais, ou com um cabelo que precisa de um retoque porém, a obsessão para com a beleza pode atingir patamares inimaginávais.
       Com os avanços tecnológicos e o aumento dos estudos nesta área, as modificações corporais vem ganhando força, principalmente no Brasil. Todos os anos, milhares de estrangeiros vem ao nosso país para realizar procedimentos estéticos, diante dos valores, cada vez mais acessíveis e de nossos bons profissionais.
       É natural desejar modificar algo em seu corpo que te incomoda. Essa mudança pode te fazer se sentir mais confiante e com tranquilidade diante de si mesmo. Porém há casos onde a insatisfação corporal pode passar dos limites.

Ana e Mia

       Há inúmeros sites sobre o assunto hoje em dia. E nem é preciso estar no submundo da internet para ter acesso à dicas e depoimentos motivacionais relacionados à estes transtornos alimentares, apelidados com nomes femininos. Anorexia e Bulimia estão presentes por toda a internet e fazem muitas vítimas todos os dias.


       A anorexia e a bulimia são transtornos alimentares onde a pessoa, com insatisfação corporal, realiza rituais e dietas específicas para atingir a "perfeição" em seus corpos. No caso da anorexia, a pessoa passa grande períodos sem se alimentar, períodos defididos como NF (no food) e na bulimia, a pessoa come em grande quantidade, porém recorre à vômitos após realizar a refeição.
       Talvez esse seja um dos exemplos mais radicais de quando a obsessão estética passa dos limites, colocando a vida da pessoa em risco. Porém, neste caso, há algo que vai além da simples insatisfação corporal, desestabilização emocional se faz presente na maioria dos casos. Seja através de uma ansiedade advinda do desejo de se encaixar nos padrões de beleza ditados pela moda, ou pela depressão, onde o sujeito simplesmente deixa de se alimentar, pois não encontra razões para isso. Ambos os casos, precisam ser acompanhados por um terapeuta e um psicólogo, mas isso, muita gente já sabe. Porém, há algo que precisa ser discutido e que não costuma ser muito abordado.
       Como prevenir que casos como estes aconteçam? Isso é primordial para salvar vidas. A insatisfação corporal pode levar um sujeito à atitudes extremas e, muitas vezes, está atrelada à um transtorno ou síndrome psicológica.
       A anorexia é caracterizada pelo desejo de buscar a perfeição do corpo, mas esse desejo de perfeição pode ser observado diretamente em aspectos cotidianos da pessoa com o transtorno. Por que ela busca a perfeição? Essa busca geralmente vai além da estética e está acompanhada de baixa auto-estima e inseguraça. Esse fatores devem ser observados e tratados antes que os sintomas do transtorno fiquem mais fortes, podendo causar riscos à vida e ao dia a dia da pessoa.
       Os aspectos emocionais e psicológicos devem ser observados de forma preventiva e não apenas quando a situação está beirando a irreversível. Muitas pessoas só procuram auxilio profissional quando a situação se encontra no extremo e não, no início, quando ainda é fácil controlar e curar os fatores iniciais que desencadearam os transtornos.

Aspectos genéticos

       Recentemente, no início deste ano, pesquisas realizadas em países europeus, americanos, asiáticos e australianos confirmaram fatores genéticos para o desenvolvimento da anorexia. Segundo eles, o transtorno, além de implicações psicológicas também é hereditário e aumenta considerávelmente quando os descendentes são do sexo feminino.

Dismorfia corporal

       A dismorfia corporal é um transtorno onde a pessoa enxerga sua própria aparência de forma diferente da realidade em seu corpo. Seu cérebro interpreta sua aparência de forma distorcida, fazendo com que elas vejam deformidades ou comprometimentos em sua aparência.
       Percebe-se que geralmente a dismorfia corporal aparece em pessoas tímidas, com baixa auto-estima que são muito ligadas aos detalhes em seu cotidiano. Esses detalhes também são observados em seu próprio corpo, mesmo que através de seu subconsciente. A pessoa com este transtorno, de fato, se enxerga de forma distorcida quando olha no espelho e não consegue interpretar sua própria imagem como as demais pessoas.
       A ansiedade e a depressão também estão diretamente associadas ao transtorno, onde cerca de 25% das pessoas possuem pensamentos relacionados ao suicídio.
       Assim como citado acima, um diagnóstico precoce de dismorfia corporal pode ser decisivo para a melhora dos sintomas do transtorno e, consequentemente, da qualidade de vida da pessoa. Indo além da insatisfação corporal, este transtorno é mais um exemplo de quando preocupar-se com as aparências pode passar dos limites.

Os homens também sofrem

       Apesar de, em sua grande maioria, os transtornos alimentares serem vivenciados por mulheres, cada vez mais, homens são acometidos por pensamentos de insatisfação corporal e sentimento de desejo de adequação social. Estes fatores contribuem imensamente para o surgimento dos transtornos, porém, os  homens não costumam adimitir - ou admitem com dificuldade - sua insatisfação consigo mesmos.
       Profissionais de saúde afirmam que ainda não é fácil diagnosticar um homem com transtornos alimentares, pois geralmente muitos homens que convivem com o transtorno nem percebem o que está acontecendo. Ainda temos a imagem de que apenas mulheres se importam exageradamente com sua aparência, e nos esquecemos que os homens também se sentem cobrados pelos padrões sociais e, cada vez mais, estão tentando se encaixar neles.

Será que você sofre com algum transtorno alimentar?

No link abaixo, você poderá realizar um teste para descobrir se pode estar sofrendo com algum transtorno alimentar! Lembre-se, o quanto antes seu diagnostico for realizado, mais cedo você poderá cuidar de si mesmo!

CLIQUE AQUI PARA FAZER O TESTE!