Você desconfia que alguém de quem você gosta pode estar pensando em se suicidar? Fique atento! Suicídio não é brincadeira e você pode ajudar a evitar uma tamanha tristeza e sofrimento.

Neste texto você vai descobrir:

  • Quais são os sinais deixados por uma pessoa que quer se suicidar.
  • Como evitar o suicídio.
  • O que fazer quando alguém próximo à você sinalisa a vontade de se suicidar.

Existem alguns sinais que podem te ajudar a identificar quando alguém, perto de você pensa em cometer suicídio. Por mais que a pessoa esteja depressiva, se isolando e com uma tristeza profunda, ela passa por determinados “estágios” para vir a cometer o ato.

Comentários alarmantes ou despedidas

A pessoa que pensa em cometer suicídio costuma dar sinais de suas intenções através de  palavras e atitudes. Você deve prestar muita atenção em suas mensagens, pode ser um simples tom de despedida, um abraço fora de contexto, a revelação de um segredo… coisas que a pessoa acharia relevantes para revelar antes de sua partida. Alguns suicidas enviaram mensagens de despedida para amigos e familiares momentos antes de cometer o ato ou até mesmo semanas antes. Muitos suicidas passam semanas, meses ou até anos, planejando como será o momento de sua morte e como irá se despedir daqueles a quem mais tem apreço.

Simulação de melhora

Quando percebe que as pessoas ao seu redor estão atentas à possibilidade de este cometer suicídio, o indivíduo pode simular a melhora do seu quadro. Uma vez que todos acreditem que ele está bem, pode despistá-los e concretizar o suicídio de forma que este não seja atrapalhado. Então, fique atento. Melhora súbita e em poucos dias, não costuma ocorrer em casos de depressão. Alguns especialistas, inclusive, afirmam que a depressão não tem cura, apenas pode ser controlada através de acompanhamento psicológico e psicofármaco. Mesmo quando o indivíduo demonstra estar superando a depressão e a vontade de cometer suicídio, continue o acompanhando atentamente e o encoraje a não abandonar o tratamento.

Alteração nos hábitos

Podemos perceber certas atitudes sendo modificadas na vida do sujeito que pensa em se suicidar. Além do isolamento e da falta de motivação para realizar as atividades do dia a dia, existem sutis alterações em hábitos que devem ser observadas, por exemplo, uma pessoa vaidosa que deixa de cuidar de sua aparência, alguém que praticava esportes, de repente não pratica mais, uma mulher que era muito carinhosa, acaba por ficar apática. Com os pensamentos suicidas, vem junto a “percepção” de que não vale a pena continuar com os velhos hábitos, uma vez que a pessoa pretende acabar com a sua vida. Ela deixa de ir ao trabalho, encontrar amigos, pagar as contas.

Tratar de assuntos pendentes

Há aquelas pessoas que pretendem cometer suicídio, porém sem “ser um fardo” para amigos e familiares. Estes vão quitar dívidas que possam prejudicar seus entes queridos, vão organizar testamento, vender imóveis, cuidar de assuntos pendentes como forma de “poupar” os que ficam de terem que lidar com os seus problemas.

Automutilação e exposição à riscos

Automutilação pode estar ligada ao desejo de desaparecer, desfazer seu corpo. Muitas pessoas se automutilam, umas se cortam, se arranham, se mordem… existem diversas maneiras de acontecer, portanto, fique atento se alguém próximo a você estiver apresentando tal comportamento. Isso pode ser uma sutil indicação de que algo de muito sério está acontecendo. Pessoas que se expõe à riscos também podem estar pensando em cometer suicídio. Sair andando desacompanhada de madrugada por uma área de extremo perigo em sua cidade, por exemplo. Acelerar ao volante, fazer uso descontrolado de entorpecentes, entrar em brigas de terceiros.

Ficando atento à estes detalhes, você pode evitar que alguém cometa suicídio.

Como evitar o suicídio?

Sim, isso é realmente possível!

Apesar das estimativas da Organização das Nações Unidas (ONU) afirmarem que 800 mil pessoas finalizam sua própria vida todos os anos e que cerca de 11.000 brasileiros se encontram inseridos nos gráficos de suicídio, que aumentam gradativamente a cada ano.

Você deve estar se perguntando, qual seria a fórmula milagrosa para diminuir os números citados acima, e é disso que falaremos agora. Porém, já adianto que desconheço a existência de tal fórmula, embora possa citar atitudes de simplicidade que, colocadas em prática, podem auxiliar um amigo, filho, esposo, tia, pai, avó a recuperar o desejo de manter-se vivo e ressignificar sua existência.

Entre as causas mais comuns que levam o sujeito a cometer suicídio no Brasil, estão os relacionamentos amorosos, dívidas, desejo de vingança, insatisfação corporal ou fuga de determinadas situações de constrangimento. Acrescento ainda, aqueles casos onde o sujeito está sob o efeito de alucinógenos ou com algum “surto de loucura” – como conhecemos popularmente os casos onde o sujeito possui algum comprometimento mental.

Uma parcela de psiquiatras e terapeutas afirma que todos nós já pensamos em cometer suicídio, ao menos uma vez na vida. Mas o que leva um indivíduo às vias de fato? Precisamos tentar compreender alguns pontos sobre esta questão.

Quando o sujeito decide dar cabo da própria existência, geralmente, acredita ter feito tudo o que estava ao seu alcance para resolver suas questões pessoais e já não possuir outra alternativa para “resolver o problema”. É o que muitos que tentaram cometer suicídio afirmam, quando questionados sobre suas atitudes.

Mas o que fazer em um momento como este?

Busque compreender!

Este é o meu primeiro conselho. Respeite, entenda que este momento configura-se como uma fase de fragilidade do sujeito, onde este não reconhece a sua força interior, e não encontra motivação para retomar à sua rotina habitual. Converse com ele, porém respeite o seu próprio tempo. Mas fique alerta aos sinais acima listados.

Indique um caminho! Converse sobre a possibilidade de um acompanhamento psiquiátrico e psicológico. Pegue-o pela mão, se for preciso. Nenhum tratamento deverá acontecer sem o consentimento do sujeito, porém, incentive-o a se cuidar. Faça a sua parte para evitar que algo mais sério aconteça.

Amigos e familiares, tendem a ficar desestabilizados emocionalmente, diante de uma tentativa de suicídio, o que os impede de agir com a necessária urgência, aumentando, assim as chances de reincidência.

É onde eu retorno à questão citada anteriormente, qual a atitude simples que pode auxiliar tanto familiares, quanto o sujeito com desejo de cometer suicídio?

Buscar por profissionais adequados para auxiliar no reequilíbrio emocional de todos os envolvidos.

Como psicóloga, tenho acompanhado o sofrimento de muitas famílias que vivenciam o suicídio, tenha sido este, efetivado ou não. Apesar das estatísticas afirmarem que 11.000 brasileiros cometem suicídio todos os anos, as tentativas de cometer o ato também seguem com números preocupantes. Em levantamento realizado entre os anos de 2011 e 2016 (última pesquisa realizada), pelo Ministério da Saúde, 48.204 tentativas de suicídio ocorreram no país, onde 69% dos casos foram vivenciados por mulheres.

O suicídio de um amigo ou familiar, sempre nos é doloroso e dificilmente, os que ficam, apresentam comportamentos coerentes diante da situação apresentada. Observo que, em muitos casos, há enorme desestabilidade emocional, que pode se estender por meses ou até mesmo, anos.

Busque o profissional mais adequado para ajudar você.

   Certo. Já conversamos sobre a importância de se buscar um psicólogo. Mas como encontrar o profissional mais adequado para ajudar você? Existem muitos tipos de terapias e diferentes perfis de profissionais no mercado de psicologia, cada um com uma especialidade específica.

Quando falo sobre o profissional mais adequado, quero me referir, ao profissional que possui maior preparo para lidar com cada caso, de forma específica. Levando em conta, as diversas especialidades da psicologia.

No site Expire Psicologia, você poderá encontrar o terapeuta mais adequado para te ajudar. Basta entrar no site, www.expire.com.br e escrever sobre o que está acontecendo na sua vida e como você está se sentindo. Sua mensagem será encaminhada à um de nossos terapeutas, com quem você poderá agendar suas sessões de atendimento online.

Com a terapia online, você poderá conversar com um psicólogo através do seu computador ou smartphone e realizar suas sessões de terapia, no conforto, segurança e privacidade da sua casa, ou de onde você estiver, precisando apenas de uma conexão com internet!

Lembre-se, é muito importante dar o primeiro passo para evitar que algo trágico aconteça!

Clique aqui para solicitar acompanhamento psicológico

Acesse: www.expire.com.br.

Encontrar o profissional mais adequado para cada caso pode:

  • Evitar que o tratamento dure mais do que o tempo necessário.

Este ponto nos ajuda a ser diretos e objetivos . Se o psicólogo tem preparo para cuidar de um determinado caso, isso faz com que não fiquemos andando em círculos durante a terapia. Certa vez, alguns anos atrás, atendi um rapaz, cuja a abordagem a ser utilizada em terapia, divergia da minha formação profissional. Porém, apenas depois do primeiro encontro, acabei por conhecer melhor o seu caso e percebi que a abordagem com a qual trabalho não seria a ideal para aquele paciente. Tivemos, então, que procurar um outro profissional com melhor perfil para atendê-lo. O que nos custou um certo tempo e atraso para o seu tratamento.

  • Economizar, mediante o fato de que o tratamento não durará mais do que o necessário.

Se encontramos o terapeuta adequado com maior facilidade, isso nos poupa não apenas tempo, mas também dinheiro. Evita que passemos por diversos profissionais, até encontrar aquele com a abordagem correta para nos auxiliar, agilizando, assim, o nosso caminho rumo à superação de nossos conflitos.

  • Focar nas necessidades únicas de cada paciente, desde o primeiro momento.

Quando iniciamos um tratamento psicológico, onde o psicólogo conhece previamente o caso de seu paciente, com a abordagem correta, consegue traçar as melhores possibilidades para conduzir o tratamento, se focando desde o início nas necessidades que o paciente apresenta.


Os textos abaixo podem ser interessantes para que você possa compreender mais sobre suicídio e depressão:

Clique aqui para ir até o texto!
Clique aqui para ir até o texto!


O site Expire psicologia encontra o psicólogo mais adequado para te ajudar, de acordo com as suas preferências e disponibilidade de horários.

Acesse: www.expire.com.br.